“Tintas naturais: Criatividade e Ciência!”

Aprender a fazer algumas tintas naturais, poder perceber que os elementos existentes na natureza não são utilizados somente como medicamentos ou para a alimentação, mas…. Que também podem ser transformados em tintas por exemplo, foi impressionante, curioso e divertido.
A beterraba, a cenoura, o espinafre e a água foram alguns dos elementos utilizados nesta experiência.
Mas, como fazer?
Nossos pesquisadores foram em busca de informações sobre este desafio: transformar os elementos naturais que tinham em tintas.
Após a produção das tintas, o próximo passo foi utilizá-las. As crianças adoraram a novidade!
Agora faça você também:
Bata a beterraba com água no liquidificador, esprema o líquido em um pano e depois coe. Repita o processo com a cenoura e espinafre.
Guarde as tintas em vidros e tampe bem.
Um abraço,
Professora Sueli – Infantil I

“Os pequenos em contato com a natureza! – Baby III”

O contato e a observação de elementos da natureza na educação infantil é fundamental! As crianças começam a ter um olhar mais investigativo e aprender sobre a preservação e cuidados com as plantas.
Fomos observar as plantinhas e flores no jardim da escola. No decorrer da atividade perguntamos para as crianças: Elas têm cheiro? Como elas crescem? Em outro momento fomos observar as flores em vasos e com o auxílio da lupa puderam observar ainda mais as particularidades das flores. Observaram a raiz, as folhas, tamanhos e etc.
Nossos pequenos ficaram ainda mais curiosos para saber como as plantinhas nascem. Na sala mostramos vídeos sobre a plantação e o que é necessário para uma plantinha nascer, crescer e etc. Após as descobertas plantamos sementes de girassol e feijão.
Esse trabalho com o Baby III proporcionou momentos de muito prazer e descobertas para nossos pequenos.

“O bicho pau e a aranha caranguejeira no Infantil!”

A turma do Infantil (3 anos) recebeu a visita de um Bicho-Pau e uma Aranha Caranguejeira, apresentados pela professora Gabriela do Infantil II.
Assim que viram os bichinhos ficaram muito curiosos e fizeram inúmeras perguntas:
Onde eles moram? O que eles comem? Como sabemos se é macho ou fêmea?
A professora contou às crianças que o Bicho Pau é de espécie Australiana, é uma fêmea, se chama “Melissa” e come apenas uma folha de amora ou goiaba por dia. Já a Aranha Caranguejeira é fêmea e se chama “Ivone”. Tem aproximadamente 10 anos e se alimenta duas vez por semana de barata de Madagascar (criada em cativeiro) e larvas.
Foi uma visita muito curiosa e de muito aprendizado que despertou ainda mais o interesse e espírito investigativo de nossos pequenos!

“Projeto: Pequenos Cientistas: Surpreendentes descobertas”

Buscando instigar a curiosidade das crianças, realizamos uma volta no quarteirão para observarmos as diferentes árvores e plantas existentes ao redor da nossa escola e recolhemos as folhas. As crianças, neste projeto, construirão conceitos, valorizando e compreendendo a importância e necessidade de preservação do meio ambiente.

Projeto Pequenos Cientistas: Surpreendentes Descobertas!

As turmas do infantil II estão cada dia mais envolvidas neste projeto.
Foram selecionados alguns temas relacionados ao mundo da Ciência, em que as crianças, através de experiências, exploração, pesquisas e rodas de conversa, estão fazendo novas descobertas sobre diferentes assuntos.
No decorrer do projeto os alunos do infantil II já tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os 5 sentidos. Em sala de aula foi montado um canto que possibilitou às crianças a exploração de materiais que aguçaram alguns destes sentidos.
Foram realizadas também experiências sobre dois elementos: a água e o vento. Para conhecer um pouco mais sobre a água, separamos alguns objetos para saber se eles afundavam ou não. A atividade gerou várias discussões entre os pequenos para encontrarem os motivos para os objetos flutuarem ou não. Em relação ao segundo elemento, foram colocados dentro de um recipiente com água, barquinhos de papel e desafiamos as crianças a fazerem os barquinhos chegarem o mais rápido possível ao outro lado do recipiente. Eles poderiam utilizar um leque, canudos ou assoprar com a boca. Após explorarem as diferentes possibilidades, discutiram qual deles proporcionou um vento mais forte.
Este projeto tem como objetivo despertar a curiosidade das crianças, desenvolver o espírito investigativo, fazer muitas perguntas e buscar respostas e criar hipóteses sobre as questões científicas que fazem parte do nosso cotidiano.

Cronograma Início do ano letivo de 2017 – Educação Infantil e Ensino Fundamental

Download do PDF Cronograma-de-Início-2017-ok.pdf (205KB)

Você já pensou em brincar de espuma colorida?

Em um ambiente alegre e relaxante, os pequenos do Baby II brincaram com espuma colorida, nada mais nada menos, que uma atividade sensorial para desenvolver em nossos pequenos uma relação sociável e interativa com as diferentes texturas do mundo em que os cercam.

#brincar #experimentar #aprender #baby2 #escolainteração

dsc04517 dsc04518 dsc04519 dsc04520 dsc04521 dsc04522 dsc04524 dsc04525 dsc04526 dsc04527 dsc04530 dsc04531 dsc04532 dsc04533 dsc04534 dsc04535 dsc04537 dsc04538 dsc04551 dsc04552 dsc04556 dsc04557 dsc04558 dsc04559 dsc04560 dsc04561 dsc04562 dsc04563 dsc04564 dsc04565 dsc04566 dsc04568 dsc04570 dsc04571 dsc04572 dsc04573

Qual a importância do trabalho com o nome próprio no Infantil I?

Desde pequenas, as crianças têm contato com a escrita, por exemplo, observando os adultos escrevendo, as placas de trânsito, os folhetos de supermercado, o cardápio do restaurante, as caixas de brinquedos, as regras das brincadeiras, os livros de histórias e etc.

A partir deste contato com a escrita a criança passa a ter curiosidade sobre o mundo letrado e uma forma de iniciar este contato é o trabalho com o nome próprio, que é muito significativo para as crianças, pois percebem que algo é só seu, que sua identidade é única.  Percebem que na escola o seu nome é representado para identificar os seus pertences, como mochila, lancheira, materiais e etc… E aquele conjunto de letras faz sentido quando precisam escrevê-lo.

O papel do professor é ampliar, de maneira significativa a inserção das crianças no “mundo” da escrita. E começar pelo nome da criança faz todo sentido, pois é uma palavra estável, sempre está escrita do mesmo jeito e fica fácil localizá-lo entre os nomes dos outros amigos, percebendo a diferença das grafias das letras e dos sons.

A escrita do nome próprio é uma das mais importantes conquistas da criança, que entra no mundo das letras. Para ela, o conjunto de letras que compõem seu nome o representa e proporciona a percepção de si como um ser social.

A partir da escrita de seu nome a criança, com as intervenções do professor, passa a escrever outras palavras, testa ideias, pensa e aprende. Aos poucos, se apropriando do sistema de escrita.

20160830_140412 20160830_140602 20160830_154552