Arte na Educação Infantil: o que priorizamos no ensino e aprendizagem

 Bianca de Paula 

Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil e Fundamental I

O ensino da Arte na Educação Infantil mudou ao longo dos anos, trabalhamos de forma com que a criança possa expressar-se nas aulas de Artes e não somente reproduzir o que o professor solicitar. Mas isto não significa que simplesmente vamos deixar o aluno livre, desenhando, pintando e descobrindo sozinho o que gosta e o que quer fazer. O trabalho do professor é complexo neste sentido, pois vamos criar todas as possibilidades para que este aluno saiba se expressar através da Arte, para que ele construa um olhar apurado em relação às produções artísticas presentes no mundo (inclusive as suas e as dos colegas de classe).

O papel da escola vai muito além de ensinar a desenhar em um caderno de desenho. Trabalhamos com artes visuais, de modo mais amplo, presente em pinturas, gravuras, esculturas, cinema, ilustrações, fotografia e etc.

O nosso currículo em Arte, ou seja, o que vamos ensinar aos alunos, não está focado em datas comemorativas, como por exemplo: na Páscoa vamos desenhar o coelhinho, no dia do índio vamos fazer uma colagem de uma oca, no dia da água vamos fazer um desenho sobre o meio ambiente, na Festa Junina vamos desenhar bandeirinhas. Pensamos em um currículo que contemple as diferentes linguagens em Arte: o trabalho com artistas, observações e apreciação das obras destes artistas, releitura destas obras (fazer artístico), contextualização histórica (biografia do artista, momento em que produziu a obra etc.).

Para alimentar o desenho do aluno e oferecer possibilidades para que desenhe e produza com mais criatividade oferecemos também temas específicos, como por exemplo, no 1º ano, desenvolvemos o tema “Animais”. Observamos com as crianças diversas obras de Arte que trazem animais, artistas que pintaram animais, jeitos diferentes de desenhar um animal. Com isto, não reduzimos o olhar do aluno, ampliamos para várias possibilidades de desenho. Eles verão animais em movimento, animais mais coloridos, animais em preto e branco, fundos de paisagens para este animal, uma visão mais modernistas de um gato, um animal feito de materiais inusitados como lã, sucata, ferro, fotografias de animais e então, quando for produzir o seu gato, ou seu cachorro, pensará de forma mais criativa, a partir do contato que teve com estas obras. Também gostaria de dizer que não oferecemos “desenhos prontos” para os alunos pintarem do tipo “Vamos Colorir”. Não é que seja proibido, em casa sabemos que os alunos têm estas revistinhas de colorir. Mas, na escola, se oferecermos muitos desenhos prontos não criaremos as possibilidades citadas acima. O aluno vai ter contato com um tipo de desenho pobre do vista de vista artístico e, consequentemente, sua visão e seu repertório vão ser limitados a estes desenhos que são conhecidos como estereotipados.

Diferentes tipos de animais oferecidos aos alunos do 1º ano para alimentar suas produções:

1
Tarsila do Amaral – A Cuca

 

2
Portinari – Floresta,1938. Óleo sobre tela
 

 

3
Leda Catunda – Xica, a gata e Jonas, 
o gato, 1984 Acrílica sobre tecido e luz 


4
Aldemir Martins – Gato azul 
 

 

5
Gustavo Rosa – Gata

 

Na Educação Infantil oferecemos aos alunos, no Projeto de Arte, o tema “Futebol nas Obras de Arte”.

Vocês sabiam que muitos artistas utilizaram o futebol como inspiração para suas obras de arte? Em ano de Copa do Mundo no Brasil analisamos e produzimos com os alunos da Ed. Infantil a partir deste tema.

Vejam um pouco deste trabalho:

No Infantil II os alunos foram convidados a apreciar a obra de Flavio Freire, artista contemporâneo:

6

No trabalho de apreciação da obra, os alunos conversam sobre a pintura, explicitando suas impressões e opiniões:

Professora: O que vocês estão vendo nesta obra?

Criança  – Menino jogando bola

Criança  – Bola

Criança  – Goleiro

Criança: Ele está pulando

Professora: Onde ele está?

Criança: No campo de futebol

Professora: Que material vocês acham que ele utilizou nesta obra?

Criança: Tinta

Professora: Como sabem?

Criança: Ele pintou de branco

Criança: Lápis de cor branco não aparece

Criança: Ele usou pedra

Criança: Por causa da cor da bola

Professora: Mas como a bola ficou parecendo pedra, o que o pintor fez?

Criança: Misturou tinta

Criança: Usou lã

Professora: O que vocês acharam do cabelo do jogador?

Criança: Arrepiado, parece o Neymar

Professora: Mas como ele fez para pintar o cabelo assim?

Criança: Fez com um pincel bem magrinho

Criança: Contornou primeiro e depois pintou de preto

Criança: Para o chão usou um pincel grande, para ser mais rápido.

Professora: E o jogador está parado ou em movimento?

Criança: Está chutando a bola

Professora: E como vocês sabem?

Criança: Curvas, tem curvas

Criança: Fez “assim”(mostrando as suas mãos como as do jogador).

Criança: Tem braços tortos

Criança: Este aí tem cara, não é igual do Portinari.

Professora: Agora  iremos desenhar um jogador em movimento.

Neste diálogo entre professor e alunos é possível perceber que a professora faz perguntas para que os alunos observem as técnicas utilizadas pelo artista e não somente o que foi pintado, mas como foi pintado. Por exemplo, quando ela pergunta sobre o cabelo e sobre o jogador em movimento. Os alunos passam a falar do tipo de pincel e do traçado do desenho e isto certamente contribuirá para quando estiverem produzindo.

 

Desenhos de alunos do Infantil II – “jogador em movimento”

 

Oficina de Arte para professores:

A oficina para os professores foi realizada para aproximar os mesmos da prática das crianças. Ou seja, o professor também precisa produzir arte para entender e se aproximar do universo de seus alunos. Disponibilizamos diversos materiais para que os professores escolhessem alguns e fizessem suas obras de arte. Após a oficina cada um contou para o grupo como fez a escolha dos materiais, o que produziu, o que sentiu naquele momento e como tomou as decisões. Desta forma, os professores puderam refletir sobre o ensino da arte e a importância de abrir espaço que os alunos se expressem e socializem suas produções com os colegas de sala. A formação de professores para o ensino da Arte deve ser constante na escola, já que precisamos nos aperfeiçoar para não limitar a imaginação e poder de produção de nossos pequenos artistas.

 

0 respostas

Deixe uma resposta


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.